destaque


Há cerca de 2.800 anos, um homem de aproximadamente 35 anos, com características caucasianas, foi cuidadosamente enterrado deitado em uma cama de madeira, com a cabeça repousada sobre um travesseiro de palha, numa tumba na região conhecida como Depressão de Turpan, no noroeste da China. O corpo foi cercado por potes de cerâmica e, cruzando diagonalmente o seu peito, foram postos 13 pés de cannabis, com quase um metro de comprimento cada, servindo como mortalha. A descoberta foi descrita no periódico “Economic Botany” pelo arqueólogo Hongen Jiang, da Universidade da Academia de Ciências Chinesa, que descreve o achado como “extraordinário”.

O achado levanta novas questões, principalmente sobre o uso. A cannabis é mais conhecida pelos seus efeitos psicotrópicos e medicinais, mas também serve para a produção de fibras e alimentação. Tecidos produzidos com a planta já foram encontrados em sepulturas na região. Por outro lado, os pés descobertos tinham dinais de que flores e sementes foram colhidos, o que indica o uso psicotrópico e alimentar. Fonte: oglobo.globo.com

Deixe seu comentário

 
 
Pedidos Histórico