destaque


O governo uruguaio prevê que a venda de maconha para fins recreativos entre em prática no país nas próximas semanas.

Segundo o jornal argentino Clarín, a erva poderá ser encontrada em 50 das 1.200 farmácias do país. Os estabelecimentos se cadastraram para fazer parte do plano piloto de venda da erva.
Diferente das embalagens de cigarro, a maconha vai ser entregue ao consumidor em uma embalagem simples, sem nenhuma propaganda, "e com advertências sobre as contraindicações e precauções", afirmou o diretor da Junta Nacional de Drogas, Milton Romani, ao jornal local El País.

Cada farmácia poderá estocar até dois quilos da erva, e vai vender pacotes fracionados de dez gramas e que não ficarão à vista do público. Além disso, só poderão comprar o produto, consumidores que se cadastraram previamente em um sistema, e serão identificados por biometria. Cada consumidor poderá comprar 40 gramas de maconha por mês.

"Esta abordagem nova gera expectativas no mundo todo, porque pretende ser mais eficaz, depois do desastre que foram as políticas de drogas em todos os cantos", afirmou.

Sob o governo Mujica, em 2013, o Uruguai foi o primeiro país do mundo a regular a produção, compra e venda e maconha com uma lei que prevê seu uso recreativo, medicinal e científico.

Deixe seu comentário

 
 
Pedidos Histórico