destaque


A Federação do Amor Exigente (FEAE), entidade que representa 100 mil familiares de dependentes de drogas no Brasil, acusa a Globo de fazer apologia ao uso da drogas após a jornalista Glória Maria aparecer fumando maconha no "Globo Repórter".

Segundo a coluna de Keila Jimenez, no portal R7, o grupo, que enviou uma carta para a Globo questionando a edição do programa, quer levar o caso à Justiça. Para a FEAE, a atração não levou em conta os riscos da droga, comprovados pela Ciência.

“Repórter deslumbrada e emissora conivente, sem questionar o grave fato de que maconha hoje no Brasil já é droga de crianças e causa de esquizofrenia. Exibiu essa apologia à maconha de norte a sul do Brasil sem nenhum comentário sobre os riscos da maconha", diz o texto.

"Portanto, passa a ser responsável pelo aumento do consumo dessa droga já usada na infância , que tira crianças da escola, de projetos, levando às cracolândias. A maioria dos dependentes de crack começaram experimentando maconha na infância”, completa.

A entidade acredita que a reportagem incentiva os jovens a utilizarem a substância e informa ainda que pediu a todas as 100 mil famílias afiliadas que deixem de assistir ao "Globo Repórter". Procurada por IMPRENSA, a emissora ainda não comentou o assunto.

Deixe seu comentário

 
 
Pedidos Histórico