destaque


Confira o trecho da entrevista concedida ao site noisey.vice.com
Você canta as músicas em português por quê?
Porque não tinha necessidade de eu fazer a versão de “Starman” se já existe uma maravilhosa, e a única dentro da lyrics. Na época eu não falava inglês e, mesmo que falasse, não escreveria em inglês. Pô, eu sou brasileiro, nasci no Rio. Sou do subúrbio. O rock não chegou. O rock não é um gênero pro negro, apesar de Jimi Hendrix. Suspeito até que o reggae o negrão aqui não gosta. Quem gosta de reggae mesmo é a galera do surfe, o pessoal da Guarda do Embaú, eles gostam. A negrada na favela não escuta o reggae music. Talvez porque a imagem do reggae ou do Bob Marley ou do dread esteja associada à maconha, que associa à polícia, que associa à repressão, que associa a um monte de coisas. Me lembro de não ter ouvido rock’n’roll.

Não ouviu nada?
Vamo lá. Dire Straits fez a cabeça. Aí tem Genesis, que se transformou numa banda pop, mas eu curtia. Guns N ’Roses com “Sweet Child O’ Mine, aquilo foi foda. Bateu. E o Bowie com “This Is Not America”, mas aquilo não é rock. É Pat Matheny Group. Eu já era do jazz e “Let’s Dance” também não é rock. “Let’s Dance” é preto. É uma música preta. A linha de baixo PIM-POM-POM. Eu suspeito até que esse som é do Nile Rodgers. [N. da E.: ele estava certo]
A matéria completa você ler em noisey.vice.com
Lembrei desses vídeos aqui...

Reggae na Favela com Shalon Souza Israel - www.SOMJAH.com#SoulRebel #SouRebelde #ReggaeRap #GuetoRoots #PapoReto
Posted by Somjah on Quinta, 5 de fevereiro de 2015


Ponto de Equilíbrio - Janela da Favela

Deixe seu comentário

 
 
Pedidos Histórico