destaque


O lendário cantor Bunny Wailer, único membro fundador dos Wailers ainda vivo, esteve na redação de um dos principais jornais da Jamaica para uma entrevista reveladora acerca do seu desentendimento com ex-rapper atual regueiro Snoop Lion.

No melhor estilo militante, vestido com botas e uniforme camuflado do exército, Bunny Wailer queria esclarecer de uma vez por todas o porque do mal entendido com o rapper americano, que foi recebido pelo próprio Bunny Wailer em sua visita à Jamaica em 2012.

Wailer - que no próximo mês estará lançando um álbum comemorativo com 50 faixas intitulado "Reincarnated Souls" - está indignado com o fato de Snoop Dogg (Lion) ter usado 'ilegalmente' o material de seu encontro em fevereiro de 2012 como plataforma de lançamento para o seu filme "Reincarnated", que foi lançado nos EUA na última sexta-feira (15/03).

O cantor de Blackheart Man explicou que seu pedido foi estabelecido em contrato, assinado por Snoop, e posteriormente reforçado através de uma carta.

Wailer disse que Snoop Lion violou o contrato assinado ao divulgar imagens do encontro.


Bunny Wailer em guerra contra Snoop Lion
Ainda de acordo com Bunny Wailer, o encontro não deveria nem ter sido filmado, e qualquer resultado deste encontro seria de 'propriedade privada' de ambos os artistas.

Ele ainda explicou como surgiu o novo apelido do cantor americano: "Na Jamaica não gostamos de chamar ninguém de dog (cão). Mesmo ele sendo internacionalmente reconhecido por esse nome, eu não poderia me dirigir a ele como dog. Então eu passei a me dirigir a ele como Lion (leão). Eu ainda vou continuar a me dirigir a ele como Lion," disse Wailer.

"Eu não sabia da intenção dele de se envolver com o reggae e a doutrina Rastafári. Então quando eu chamei ele de Lion, isso complementou o objetivo dele de se tornar um Rasta."

Snoop Lion enfrenta problemas com seu novo nome

Wailer disse que tentou contato por telefone com Snoop diversas vezes, mas não foi atendido.

"Quando eu chamei ele de Lion, eu deixei por isso mesmo. Eu não vou chegar e dizer pra Snoop 'agora você se chama lion e eu quero um dinheiro por isso," disse Wailer, que em abril faz 66 anos. "Se ele está envolvido com a doutrina Rastafári, ele tem que contribuir com o desenvolvimento da doutrina."

A hierarquia do Conselho Rastafari Milenar (Rastafarian Millenium Council) também ficou incomodada.

"Nós assinamos um acordo em fevereiro de 2012", disse Robert "Prophet Greg" Mogg, secretário-geral do conselho. Mogg disse que, além do filme, Snoop expressou o seu desejo de abraçar a fé Rastafári e se encontrou com membros da Casa Nyahbinghi (Nyahbinghi House) em Clarendon, na Jamaica.

De acordo com esse contrato, o filme não deveria ser lançado sem a prévia aprovação da Casa Nyahbinghi. "O filme já foi pré-lançado e agora está entrando no mercado... outra violação," disse Mogg.

Uma carta de sete páginas foi enviada em 1° de março e ficou sem resposta. "Isto é uma violação de nossa propriedade intelectual, e temos que resguardar nossa cultura", complementou. Mogg disse ainda que Snoop mandou uma pequena Van de presente para a Casa Nyahbinghi, mas isso não era parte do contrato.

Bunny Wailer defende com unhas e dentes a fé que ele aceitou há 40 anos atrás. "A doutrina Rastafári não é algo que alguém possa representar ou fingir ser. É algo que existe através de Sua Majestade Imperial Haile Selassie I e que os Rastas vêem como substancial para sua existência... não é algo com que você possa brincar."

Vale lembrar que, apesar de todos os problemas enfrentados por Snoop Lion por conta de sua controversa conversão à doutrina Rastafári e também com relação a sua mudança de nome, ele jamais foi confrontado ou agredido fisicamente por Rastas na Jamaica, como chegou a ser divulgado em alguns blogs e sites recentemente. Fonte:  rasta.com.br

Deixe seu comentário

 
 
Pedidos Histórico