destaque


Olhos abertos, Por Ricardo Rezende

“Mesmo que todos os dias o sol nasça atrás de milhares de nuvens, até mesmo escondido eu sei que estará lá, imponente, brilhante e iluminando minha vida, me dando força e velando meu resto de sono enquanto sonho. Mas é preciso abrir os olhos e sair deste transe profundo, ilusório e infelizmente voltar para realidade.

Infelizmente sim, pois quando nos resgatamos do sonho para a realidade, algo que dá vida a um monstro passa a dialogar como se fosse um representante de algumas pessoas, ai o perigo eminente se torna algo muito real. Vivendo uma realidade de ilusões, plantando sementes mortas, se tornando totalmente degradante e descartável, triste e deprimente de natureza quase desumana.

Usando minhas vivências como uma boa forma de sintetizar todas as dúvidas a respeito das opiniões de quem sempre contesta tudo, embasado em observações inteligentes e não só por uma instantânea descarga de rancor e egoísmo, típico de nós seres humanos, confesso que aprendi e estou aprendendo. A farsa por si só já é atraente, porque expõe um lado nosso que não temos coragem de assumir diante da sociedade.

A farsa é uma intoxicação gradual de nossa dignidade. Mas não posso aceitar e descartar minha ingenuidade, senão vou viver cercado de insanidades e impressões de que estou sendo perseguido e enganado o tempo todo. Aceito a minha ignorância, porque nós todos somos ignorantes. Mas burrice me irrita, me incomoda.
Gente que se acha capaz de julgar ou mesmo rotular terceiros porque foi incapaz de entender determinada postura ou colocação. Gente prepotente, gente besta, e desse tipo de gente o mundo esta repleto.

Ainda mais hoje em dia, que com a velocidade do consumo de informações que se tornam descartáveis, tirando as redes de televisões que ainda conseguem prender a atenção de uma pequena parte da população, as ideologias acabaram ficando diluídas no meio de um monte de novidades que mobilizam as pessoas a cada momento. Não temos muito tempo para pensar, portanto, temos que consumir antes de sermos consumidos e isso gera uma ansiedade enorme.

As farsa está em todo lugar, o que a torna, ao mesmo tempo, inexistente. Mas não é hora para questões metafísicas. Cabe a cada um de nós saber tolerar as adversidades e mais ainda, abrir os olhos para o mundo ao nosso redor. Simplesmente abrir os OLHOS!” Texto: Ricardo Rezende

Deixe seu comentário

 
 
Pedidos Histórico